Refugiados do amor


Durante décadas, Ahmad1 esteve procurando a paz. Sua primeira tentativa foi por meio do alcoolismo, em seguida, drogas, mas nada disso preencheu o anseio de seu coração.

Decidido a desintoxicar-se, Ahmad começou a frequentar grupos de Alcoólicos Anônimos (AA) e Narcóticos Anônimos (NA) em sua terra natal localizada no Oriente Médio. Sentindo-se beneficiado pelas reuniões do AA e NA, surgiu o desejo de ajudar aqueles que lutavam contra os vícios, tornando-se assim um palestrante certificado dos grupos AA e NA. Também recebeu uma licença do governo que lhe permitiu realizar as reuniões na própria casa, onde poderia ajudar muitas pessoas a encontrar a liberdade.

O presente transformador

Uma das atividades favoritas de Ahmad era a leitura. Certo dia, ele encontrou um livro com vários trechos da Bíblia. Foi seu primeiro acesso a esse tema e, enquanto lia, sentiu paz no coração.

Ao comentar sobre o livro com os amigos, ele exclamava: “É outra forma de ver a vida! Amei encontrar esse livro! Sinto paz quando o leio.”

Logo depois, Ahmad recebeu uma Bíblia, presente de um amigo. Enquanto lia o Livro sagrado, sentiu mais paz e conforto ainda maior. Em resposta a algumas perguntas que fez ao amigo, foi levado a uma casa em que um pequeno grupo de cristãos se reunia secretamente. Se fossem descobertos, poderiam ser condenados à morte.

“Em meu país”, diz Ahmad, “quando o governo recebe qualquer informação de que alguém mudou ou está interessado em mudar a religião, eles matam. As pessoas simplesmente ‘desaparecem’”.

“Mas quando encontrei esse livro [a Bíblia] e esse caminho, conheci Jesus e Sua luz. Tudo mudou em minha vida e decidi ajudar outros a descobrir essa mensagem.”

“O Deus que ama”

Ahmad continuou realizando as reuniões de AA e NA em sua casa. Lentamente, ele começou a apresentar Cristo nos grupos, mas de forma indireta.

“Há um Deus que nos ama”, Ahmad diz. “Um Deus Pai que nos enviou Seu Filho.”

Mas alguns que frequentavam as reuniões não gostaram do que Ahmad estava compartilhando. “Tenha cuidado com o que você diz”, os amigos advertiam. “Eles registram tudo e isso lhe trará problemas.”

Ahmad passou a ser mais cuidadoso. “Mas eu não poderia ficar acomodado”, confessou. “No AA, aprendi que devemos transmitir a mensagem aos outros e aprendi com a Bíblia que, se quisermos manter a esperança, devemos compartilhar.”

Ahmad inscreveu-se em um site que, secretamente, baixava sermões cristãos e os copiava. Então fez pequenos kits que incluíam uma pequena Bíblia, sermões e um curso bíblico em CD. Esses kits foram distribuídos discretamente por todo o país.

O novo amigo

Nessa época, Ahmad ouviu de Hamid, um amigo que tinha deixado seu país e estava na Áustria: “descobri uma igreja que prega a mesma coisa que você diz sobre álcool e drogas”, disse Hamid, entusiasmado. “Os membros são muito simpáticos, receptivos, e me ajudaram. Sinto-me parte da família.” Era a Igreja Adventista do Sétimo Dia.

“Quando fugimos de um país devido à situação que enfrentamos”, Ahmad explica, “ficamos preocupados e desejosos de saber se as pessoas serão receptivas. Mas essas pessoas nos aceitam e são muito simpáticas. Elas nos ajudam a ter um melhor relacionamento com Deus.”

Eles continuaram se comunicando por mais de um ano. Hamid sempre contava as experiências que vivia na igreja adventista da Áustria.

Ahmad continuou participando dos cultos secretos na igreja cristã subterrânea em seu país de origem. Certo dia, no entanto, um de seus amigos cristãos “desapareceu”. Ahmad logo ouviu que o governo tinha descoberto sobre a conversão do amigo e que ele e a esposa estavam em grave perigo.

Embora sua esposa estivesse no nono mês de gravidez, Ahmad percebeu que sua única segurança seria fugir. Secretamente, o casal viajou imediatamente para outro país. De lá, eles encontraram o caminho para a Áustria e encontraram seu amigo, Hamid.

Encontrando a paz

No primeiro dia em que estavam no país, Hamid os levou para a igreja adventista. “Vocês podem encontrar a paz aqui”, disse ao casal cansado.

“Eu encontrei mais do que paz; também encontrei o amor”, diz Ahmad. “Foi a primeira vez que conheci pessoas que querem ajudar desinteressadamente e demonstram amor, em retribuição ao amor de Jesus. Não encontrei esse amor nem na minha família. Por motivos religiosos, meus pais não conseguiam demonstrar amor. Nas opiniões religiosas deles, Deus não é amável. Mas aqui, senti esta mensagem em meu coração: ‘Você é um refugiado do amor’.”

Ahmad, a esposa e o bebê frequentam regularmente uma igreja adventista na Áustria. Ahmad continua a espalhar as boas-novas que aprendeu e já trouxe muitos refugiados para a igreja.

1Todos os nomes foram mudados a fim de que a identidade verdadeira dos personagens seja preservada.

RESUMO MISSIONÁRIO

  • A capital da Áustria é Viena.
  • A Áustria é um país principalmente montanhoso, com uma altitude média de 914 m.
  • O Rio Danúbio é o maior da Áustria.
  • O idioma oficial do país é o alemão, falado por mais de 88% da população. Outros idiomas locais incluem húngaro, croata, sérvio, bósnio, turco e polaco.