Pés lavados em leite


Enquanto Jó lutava para aceitar a calamidade que lhe sobreviera, pensava em seu passado, em como sua vida tinha sido boa e na maneira pela qual tinha vivido. Ao falar sobre seu passado, Jó afirmou que naquela época ele havia lavado “os pés em leite” (Jó 29:6).

Por exemplo, em Jó 29:2, o patriarca falou sobre o tempo “em que Deus [o] guardava”. A palavra hebraica para “guardar” vem de um termo comum usado em todo o Antigo Testamento para se referir ao vigilante cuidado de Deus para com Seu povo (veja Sl 91:11; Nm 6:24). Sem dúvida, Jó tinha uma vida boa. É importante notar que ele reconhecia isso.

2. Leia Jó 29:8-17. Como as outras pessoas viam Jó e como ele tratava os que tinham dificuldades? Analise as afirmações e assinale a única alternativa correta:

  • A. ( ) As pessoas viam Jó com muito respeito e o julgavam feliz, pois ele socorria os pobres e os órfãos.
  • B. ( ) As pessoas viam Jó com muita inveja, pois ele tinha tudo o que elas queriam ter.
  • C. ( ) As pessoas viam Jó com muito temor, pois ele fazia justiça com as próprias mãos.

Podemos ver nesse trecho quanto Jó era respeitado. A frase “na praça me era dado sentar-me” (Jó 29:7) transmite a ideia de uma espécie de governo local, do qual Jó, obviamente, fazia parte. Tais “assentos” normalmente eram dados aos membros mais velhos e respeitados da sociedade, e entre esses membros Jó era muito estimado.

Porém, podemos ver que até as pessoas mais humildes da sociedade o amavam e o respeitavam. Os pobres, os que pereciam, os cegos, as viúvas, os órfãos e os coxos – aqueles que não tinham sido abençoados como Jó eram exatamente aqueles a quem Jó ajudava e confortava.

“Deus dá em Sua Palavra a descrição de um homem próspero, cuja vida foi, na mais exata acepção da palavra, um êxito, um homem que tanto o Céu como a Terra se deleitavam em honrar” (Ellen G. White, Educação, p. 142).

Passagens como essas e outras que veremos a seguir nos mostram porque Jó tinha sido uma pessoa muito bem-sucedida em todos os aspectos, tanto aos olhos dos homens como aos olhos de Deus.

É fácil ser gentil e respeitoso com os ricos, poderosos e famosos. Como, porém, você trata aqueles que nada têm a lhe oferecer?