Os anciãos na igreja primitiva


1. Leia Atos 6:1-6; 14:23; 15:6; 1 Timóteo 5:17 e 1 Pedro 5:2. Quais eram os desafios enfrentados pela igreja primitiva? Qual era o papel de seus líderes?

A conversão de um grande grupo de pessoas e seu ingresso na igreja realmente são maravilhosas bênçãos de Deus. No entanto, conforme a experiência dos primeiros cristãos ilustra, o crescimento rápido pode trazer problemas.

Por exemplo, em Atos 1–5 temos o registro da liderança do Espírito Santo e da conversão de muitas pessoas ao cristianismo. Como resultado, o grupo se tornou grande demais para sua liderança, sendo necessário estabelecer uma estrutura a fim de administrar as funções cotidianas da igreja (At 6:1-6).

A deficiência na estrutura organizacional chegou a uma crise com a questão da reclamação de que havia discriminação. Os judeus de língua grega se queixaram de que suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimentos. Em resposta a esse problema, um grupo de pessoas, os diáconos, foi especialmente designado para auxiliar os 12 apóstolos na administração dos recursos da igreja.

O Espírito Santo conduziu a igreja primitiva de maneira especial; no entanto, mesmo assim houve a necessidade de organizá-la. Logo no início surgiu a necessidade de formar um grupo essencial de líderes, os anciãos, que foram estabelecidos em cada congregação. Na verdade, a nomeação de anciãos para liderar os novos grupos de cristãos era algo de que Paulo e Barnabé lançavam mão quando iam para lugares que ainda precisavam ouvir sobre Jesus (At 14:23).

Os anciãos receberam muitas funções diferentes no início do cristianismo. Como líderes de suas comunidades, às vezes eles trabalhavam como instrutores, ensinando os novos conversos. Eles pregavam e asseguravam que fossem feitas todas as coisas necessárias ao bem-estar da congregação (At 15:6; 1Tm 5:17; 1Pe 5:2).

Como podemos trabalhar de maneira mais eficaz com os líderes da igreja, mesmo que não concordemos com eles em todas as coisas?