Jesus, o Messias divino


Pedro sabia que Jesus não era apenas o Messias, mas também o próprio Senhor. Ou seja, ao escrever suas epístolas, ele tinha conhecimento de que o Messias era o próprio Deus. Embora a palavra “Senhor” [Lord, em inglês] possa ter um significado secular, o termo também pode ser uma clara referência à divindade. Em 1 Pedro 1:3 e 2 Pedro 1:8, 14, 16, o apóstolo se referiu a Jesus como o Messias, o Cristo, o Senhor, o próprio Deus.

Assim como outros escritores do Novo Testamento, Pedro descreveu a relação entre Deus e Jesus empregando as palavras Pai e Filho. Por exemplo: “Bendito o Deus e Pai de nosso SENHOR Jesus Cristo” (1Pe 1:3; compare com 2Pe 1:17). Jesus é retratado como o Filho amado (2Pe 1:17), e parte de Sua autoridade como Senhor e de Seu status celestial vem desse relacionamento especial que Ele tem com Deus, o Pai.

6. Leia 2 Pedro 1:1; João 1:1 e João 20:28. O que esses textos revelam sobre a divindade de Jesus? Assinale a alternativa correta:

  • A. ( ) Ele é Filho de Deus, mas não é Deus.
  • B. ( ) Ele é uma criatura assim como os anjos.
  • C. ( ) Ele é o próprio Deus encarnado, o Senhor.

Em 2 Pedro 1:1, o apóstolo diz: “Nosso Deus e Salvador Jesus Cristo”. No original grego, o mesmo artigo definido (“o”) é usado para Deus e para Salvador. Gramaticalmente, isso significa que tanto “Deus” quanto “Salvador” se referem a Jesus. Portanto, essa passagem é uma das indicações muito claras da plena divindade de Cristo no Novo Testamento.

À medida que os primeiros cristãos se esforçavam para compreender quem era Jesus, eles colocaram gradualmente as evidências da Sua divindade no Novo Testamento. Nos escritos de Pedro, assim como nos textos de outros autores, o Pai, o Filho e o Espírito Santo são distintos (por exemplo, Pai/Filho: 1Pe 1:3; 2Pe 1:17; Espírito Santo: 1Pe 1:12; 2Pe 1:21). Contudo, ao mesmo tempo, Cristo é retratado como plenamente divino, assim como o Espírito Santo. Com o passar dos anos, e depois de muita discussão, a igreja desenvolveu a doutrina da Trindade a fim de explicar o mistério da divindade da melhor maneira possível. A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem a doutrina da Trindade como uma de suas 28 crenças fundamentais. Portanto, vemos em Pedro uma representação clara de Jesus não apenas como o Messias, mas como o próprio Deus.

Mesmo sendo o Filho de Deus, Jesus veio para viver e morrer como ser humano, para nos salvar. O que isso revela sobre o Deus a quem servimos? Ele merece o nosso amor e confiança?