Finalmente, segura


A vida de Fátima1 era cheia de terror. Casada com um homem abusivo que usava a religião para aterrorizá-la, frequentemente sofria espancamentos e humilhações nas mãos do esposo. Aprisionada na própria casa, Fátima raramente podia sair – uma prática comum no país em que vivia, no Oriente Médio.

Finalmente, devido a uma necessidade financeira, o marido permitiu que ela trabalhasse em um salão de beleza, onde estaria junto de outras mulheres. Embora estivesse interagindo com outras pessoas, Fátima se sentia cada vez mais deprimida e tentou cometer suicídio.

“Mas não consegui”, ela relembra. “Algo em meu coração dizia: ‘Isso não é certo. Não faça isso!’” Sentindo-se sem esperança, Fátima cumpria mecanicamente a rotina diária.

“Por que você está triste?”

Certo dia, no salão de beleza, uma cliente de meia-idade gentilmente lhe perguntou, “Está tudo bem, minha filha? Por que você está tão triste?”

Sentindo a preocupação genuína da senhora, Fátima compartilhou o que estava no coração, enquanto trabalhava. A mulher ouviu com empatia a história de Fátima e começou a falar sobre esperança, bondade e amor. O coração de Fátima foi tocado de maneira inexplicável, e ela passou a esperar ansiosamente as visitas daquela cliente.

Certo dia, a senhora convidou Fátima para jantar em sua casa. O marido permitiu que ela fosse. Enquanto desfrutavam da refeição, a senhora falou sobre Jesus e como Ele havia trazido paz e esperança para ela.

Elas continuaram se encontrando e Fátima começou a se sentir mais corajosa. Então, certo dia, a senhora a convidou para participar de um encontro secreto.

“Vou para uma reunião em que aprendemos mais sobre Jesus e a Bíblia. Você gostaria de ir?”

Fátima ficou interessada, e as duas se dirigiram para uma casa onde nove pessoas estavam reunidas. Elas liam a Bíblia enquanto um homem coordenava o debate. Foi seu primeiro contato com a Bíblia, e Fátima ficou encantada quando a teve nas mãos!

Por causa do marido controlador, Fátima não pôde frequentar o grupo regularmente. Entretanto, conseguiu guardar a preciosa Bíblia.

Porém, novamente sobreveio um dia de pavor. Ao chegar do trabalho, Fátima soube que o marido descobriu que escondia uma Bíblia. Enquanto a espancava sem piedade, o homem anunciou que a mataria.

Milagrosamente, ela sobreviveu ao espancamento. Mas voltou a ser prisioneira na própria casa. Gradualmente, porém, conseguiu autorização para voltar ao emprego que lhe permitia ajudar no sustento. Dessa vez, o marido monitorava cuidadosamente todos os seus passos.

Ameaças de morte

Fátima almejava a comunhão do pequeno grupo de cristãos, por isso arriscou-se a participar da reunião secreta. Infelizmente, o marido viu e começou a gritar: “Vou te matar! Vou matar todos eles! Eles são infiéis e devem ser mortos!”

Fátima fugiu para a casa dos pais e ali permaneceu até ser encontrada pelo marido. Batendo na porta, o homem anunciou aos sogros que a filha deles havia se tornado cristã e merecia morrer.

“Se eu não matar, vocês devem fazê-lo!”, o enlouquecido homem gritou.

Voltando-se para Fátima, os pais enfurecidos estavam prestes a bater nela, quando ela fugiu rapidamente para outra sala implorando por sua vida.

Naquela noite, Fátima se esgueirou silenciosamente para fora da casa dos pais, fugindo com nada mais além da própria vida. Entrou em contato com seus amigos cristãos e recebeu o endereço de uma casa fora da cidade onde poderia se esconder.

Durante duas semanas, o pastor do pequeno grupo visitou regularmente Fátima, levando-lhe alimento e roupas. Ele disse: “Se você realmente quer se tornar cristã, posso ajudá-la. Mas se você não quiser continuar nesta nova maneira de viver, pode voltar para sua família.”

“Desejo muito me tornar cristã”, Fátima respondeu resolutamente.

Para ela, era muito perigoso ficar em seu país de origem. Por isso, o grupo cristão a ajudou a fugir para um país vizinho e, de lá, pagaram a passagem para que ela chegasse à Áustria.

Nesse novo país, Fátima entrou em contato com Ahmad2 e a esposa dele, que haviam fugido da mesma cidade.

“Descobrimos que a igreja é exatamente o lugar que você está procurando!”, disse a esposa de Ahmad.

No sábado, Fátima foi com o casal à Igreja Adventista do Sétimo Dia e descobriu que era como eles descreveram. “Aqui, encontrei paz, esperança e bondade”, disse ela. “As pessoas realmente me ajudam a entender que não estou sozinha. Desde que comecei a participar dessa igreja, aconteceram muitos milagres em minha vida. As pessoas oraram por mim. Uma família me recebeu e cuida de mim como sua própria filha. Sinto-me segura agora.”

1 Nome fictício.
2 Ver a história da semana passada.

RESUMO MISSIONÁRIO

  • A União Austríaca tem 50 igrejas e 4.135 membros.
  • Em 1895, L. R. Conradi realizou o primeiro batismo na Áustria-Hungria em Klausenburg.
  • O ano de 1902 marca o início do trabalho missionário da Igreja Adventista em Viena, por H. Kokolsky, famoso escultor da época, batizado por G. Perk na Alemanha.
  • Em 1909, o primeiro pastor adventista austríaco, Franz Gruber, foi ordenado em Viena.