Convencer do pecado


1. Leia João 16:8, 9. Que obra fundamental o Espírito Santo realiza por nós, e por que ela é tão importante?

Jesus chamou o Espírito Santo de paracleto, palavra rica em significado e que transmite a ideia de ajudador, advogado e consolador. O Espírito não participa dessa importante obra de nos convencer do pecado como o acusador dos irmãos nem como nosso promotor de acusação. Ele não é enviado por Jesus para nos condenar, mas para nos ajudar a perceber a necessidade que temos da graça.

Somente um consolador é aceito como ajudador. É uma grande tragédia o fato de que os cristãos, por mais bem-intencionados que sejam, muitas vezes abordem as pessoas que estão em pecado com um espírito acusador em vez de uma atitude ajudadora. Se saímos por aí apontando o pecado na vida das pessoas, estamos fazendo algo que Jesus não nos chamou a fazer. Afinal de contas, quem somos nós para apontar o pecado dos outros quando nós mesmos certamente temos pecados?

2. Leia Romanos 2:1 e Mateus 7:3. Que mensagem devemos extrair desses versos? Por que não podemos julgar os outros?

Somos Suas testemunhas, não promotores de acusação. Somos chamados a testemunhar de Seu poder redentor, não a condenar os outros por seus erros. Na tentativa de convencer outras pessoas de seus pecados, assumimos uma obra que não é nossa; é do Espírito Santo.

Será o Consolador (não nós) que convencerá (Jo 16:8) o mundo da verdadeira natureza do pecado. Pessoas que não se entregam a Jesus não têm a verdadeira compreensão do que o pecado realmente é e de quanto ele pode ser destrutivo.

A ideia, nesse verso, não é que o Espírito fará uma lista de pecados específicos. Em vez disso, Ele vai ao pecado fundamental: a descrença em Jesus Cristo (Jo 16:9). Nossa mais profunda miséria e alienação não consiste em nossa imperfeição moral, mas em nosso afastamento de Deus e recusa em aceitar Aquele a quem Ele enviou para nos resgatar dessa condição.

O problema fundamental de todo pecado é que não acreditamos em Jesus e, portanto, rejeitamos o único que pode nos salvar do nosso pecado e culpa. Esse é o pecado que coloca o “eu” no centro das coisas, fazendo com que nos recusemos a crer na Palavra de Deus. Somente o Espírito Santo pode nos abrir o coração e a mente à grande necessidade que temos de arrependimento e da redenção pela morte de Cristo em nosso favor.