Chamado incontestável – parte 3


Richard foi ao funeral de Manuel e ouviu o sermão do pastor. Depois do culto, ele decidiu marcar um encontro com o pastor. Quando se encontraram, Richard disse que desejava conhecer mais sobre a Igreja Adventista do Sétimo Dia e desejava receber estudos bíblicos. O pastor ficou muito feliz em poder atender e, junto a Lilliane, Richard estudou a Bíblia com o pastor.

Contando aos pais

Como o relacionamento com Lilliane estava ficando sério, ele desejou contar aos pais. Eles não ficaram felizes, pois queriam que Richard se casasse com uma moça judia. Eles disseram:

– Não fique com ela. Você é jovem, existem muitas garotas.

Contudo, eles não conseguiram convencê-lo a romper o relacionamento com Lilliane.

Então, o pai teve outra ideia.

– Que tal ir ao Canadá? Pagarei sua passagem e seus estudos.

Oito tias de Richard moravam naquele país.

A princípio, Richard recusou o convite. Mas, certo dia, quando não estava feliz, embora não soubesse o motivo, foi à loja do pai e disse:

– Ok. Vou para o Canadá. Dê-me o dinheiro. Sem dar nenhuma explicação à Lilliane, comprou a passagem e mudou de país.

Depois, soube que ela chorou muito e os pais dele tentaram confortá-la. Ela descobriu o endereço da tia de Richard e escreveu uma carta. Ele estava ali havia três semanas, mas quando recebeu a carta, ficou bastante emocionado. Comprou outra passagem e voltou à França.

O pai dele não ficou feliz. O pai tentou de tudo para dissuadi-los, mas quando viu que o relacionamento estava sério, convidou Lilliane à sua casa e tentou convertê-la ao judaísmo. Foi quando soube que era Richard quem estava se convertendo ao adventismo.

O pai disse:

– Seus ancestrais perderam tudo em muitos países porque se recusaram a se converter e, de repente, você é um convertido? Se fizer isso, vai se tornar um perseguidor de judeus como todos os cristãos.

Então, falou com os rabinos, muitos rabinos. Eles decidiram ir à casa de Richard, na tentativa de convencê-lo a não se tornar cristão. Durante todo o mês, todas as noites um rabino visitou Richard.

Eles disseram:

– Jesus não era um bom rapaz. Ele é uma lenda, um falso profeta. E apresentaram todos os argumentos possíveis. Mas quando o pai viu que não havia nada que fizesse Richard mudar de opinião, decidiu expulsá-lo de casa.

– Você não é mais meu filho!

Em seguida, pranteou por ele como se Richard tivesse morrido.

“Não posso mudar”

Richard se mudou para a casa de um pastor adventista e trabalhou como contador no Hotel E’cole. Após duas semanas, seus pais foram visitá-lo no trabalho. O pai suplicou que desistisse de ser cristão e voltasse para casa.

– Não posso mudar minha mente – Richard respondeu.

– Por favor, não faça isso!

Depois da discussão, eles saíram e, por dez anos, Richard não mais viu o pai. A mãe era mais compreensiva, mas o pai não permitia que ela fosse vê-lo. Inclusive a ameaçou com o divórcio, caso ela visitasse o filho. Entretanto, a mãe era proprietária de uma loja de roupas e, algumas vezes, Richard conseguia visitá-la.

Após um ano de estudos bíblicos, Lilliane e Richard foram batizados e se casaram. Eles realizaram o casamento civil numa sexta-feira. No sábado foram batizados e no domingo foi realizada a cerimônia religiosa na igreja adventista. Na segunda-feira, foram para Israel, onde ficaram por três semanas. Enquanto estavam ali, Richard descobriu que só havia 50 adventistas no país. O pastor disse:

– Não podemos fazer nenhum tipo de evangelismo entre os judeus.

O pastor não era judeu, e Richard, sendo judeu, sabia que não era verdade. Quando Richard viu esse quadro, chorou. Enquanto Lilliane tentava confortá-lo, ele falou:

– Um dia, serei pastor neste país!

Richard não sabe por que disse aquilo, pois naquela época não tinha planos de cursar Teologia. Porém, a partir daquele momento, sentiu fortemente que Deus desejava que ele se tornasse pastor, especialmente entre os judeus.

Epílogo

Richard Elofer estudou na Universidade Adventista de Collonges e se tornou pastor. Ele serviu em Israel por muitos anos antes de retornar a Paris e trabalhar entre a população judaica, fundando um Centro de Convivência Judaico-Adventista. Parte da oferta da Escola Sabatina deste trimestre ajudará a comprar um terreno para esse novo centro. Somos muito gratos por sua generosidade!