A ressurreição de Jesus


4. Leia 1 Pedro 1:3, 4, 21; 3:21; João 11:25; Filipenses 3:10, 11 e Apocalipse 20:6. Qual é a razão da esperança mencionada nesses textos? O que isso significa para nós? Assinale a alternativa correta:

  • A. ( ) As riquezas que teremos no Céu. Sem elas, seremos somente servos pobres na eternidade.
  • B. ( ) O segundo Pentecostes. Sem ele, não terminaremos a obra.
  • C. ( ) A ressurreição de Jesus. Sem ela, não temos nenhuma esperança em relação à morte.

Conforme já vimos, a primeira epístola de Pedro foi endereçada aos que estavam sofrendo em razão de sua crença em Jesus. Por isso, logo no início de sua carta, o apóstolo dirigiu a atenção de seus leitores à esperança que os aguardava, algo considerado especialmente apropriado. Como ele disse, a esperança do cristão é viva porque está fundamentada na ressurreição de Jesus (1Pe 1:3). Graças à Sua ressurreição, podemos aguardar com expectativa uma herança celestial que jamais perecerá nem passará (1Pe 1:4). Em outras palavras, não importa quanto as coisas se tornem difíceis, pense no que nos espera quando tudo terminar.

A ressurreição de Jesus é a garantia de que também podemos ser ressuscitados (1Co 15:20, 21). Como expressou Paulo, “se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé; e ainda permaneceis nos vossos pecados” (1Co 15:17). Contudo, por ter ressurgido dos mortos, Ele provou que tem poder para vencer a própria morte. Portanto, a esperança cristã encontra seu alicerce no fato histórico da ressurreição de Cristo. Sua ressurreição é o fundamento que possibilitará nossa ressurreição no fim dos tempos.

Onde estaríamos sem essa esperança e promessa? Tudo o que Cristo fez por nós culmina na promessa da ressurreição! Sem ela, que esperança teríamos? Afinal de contas, sabemos que, ao contrário da crença cristã popular, os mortos dormem um sono inconsciente na sepultura.

“Para o cristão, a morte é apenas um sono, um momento de silêncio e escuridão. A vida está escondida com Cristo em Deus, e ‘quando Cristo, que é a nossa vida, Se manifestar, então também vós vos manifestareis com Ele em glória’ (Jo 8:51, 52; Cl 3:4). […] Em Sua segunda vinda, todos os queridos mortos Lhe ouvirão a voz, saindo para uma vida gloriosa, imortal” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 787).

Por que a promessa da ressurreição é tão importante para nossa fé?