Às doze tribos dispersas entre as nações



Ano Bíblico: Zc 9–11

Quarta, 1º de outubro

5. Leia Tiago 1:1; Atos 11:19-21; 1 Pedro 2:9, 10. Quem são essas “doze tribos”, e como se tornaram tão amplamente espalhadas?

Como vimos, Tiago escreveu aos crentes. No início, a obra do evangelho se concentrou em Jerusalém (Lc 24:47), mas, como resultado da perseguição que se intensificou depois do apedrejamento de Estêvão, esses cristãos foram espalhados, e a semente do evangelho foi plantada ao longo das cidades e regiões vizinhas do Império Romano.

De acordo com Atos 11, o evangelho se espalhou para os gentios bem cedo, a partir de Antioquia. Assim, “as doze tribos” provavelmente se referem aos cristãos como um todo. Parece não ter havido diferentes congregações com base na etnia. Por isso, o Concílio de Jerusalém logo teve que decidir se os crentes gentios deviam primeiro se tornar judeus sendo circuncidados (At 15:1-6), a fim de se tornar cristãos.

6. Leia Atos 15:13-21. Como Tiago abordou o problema enfrentado pela igreja primitiva?

Uma solução bíblica manteve a igreja unida: Tiago citou a profecia de Amós de que a restauração e expansão final de Israel incluiriam os gentios (At 15:16, 17), um decreto fundamentado nas leis mosaicas para residentes estrangeiros (Lv 18–20). Tiago se dirigiu aos seus leitores como “as doze tribos” para lembrá-los de sua identidade como coerdeiros da promessa feita a Abraão. Pedro expressa uma ideia semelhante quando descreve os cristãos como “nação santa” (1Pe 2:9; compare com Êx 19:5, 6), abordando também os cristãos “dispersos” no exterior (1Pe 1:1). A palavra grega em ambas as passagens é diaspora, que normalmente se referia a judeus que viviam fora dos limites geográficos de Israel (leia João 7:35).

Apesar das enormes diferenças culturais, étnicas e sociais entre nós, o que une os adventistas do sétimo dia em Cristo como um movimento protestante distinto?

Comentários sobre a Lição

comentários sobre a lição

Tiago e o evangelho



Ano Bíblico: Zc 5–8

Terça, 30 de setembro

Infelizmente, talvez por causa da influência de Lutero, muitos cristãos têm sido incapazes de ver a mensagem importante da epístola de Tiago. Sem diminuir a contribuição de Lutero para a igreja de seu tempo, devemos lembrar que “a Reforma não terminou com Lutero. [...] Ela haverá de prosseguir até a conclusão da história terrestre”, porque “graves erros” foram perpetuados pelos reformadores e muitas verdades importantes ainda deviam ser reveladas (Ellen G. White, História da Redenção, p. 353).

Por isso, a necessidade do Grande Despertamento com Jonathan Edwards, George Whitefield – e os irmãos Wesley, que deram origem ao movimento metodista e sua ênfase no papel vital da santidade na vida cristã. A obra da reforma continuou com o Segundo Despertamento, por meio do qual Deus levantou os adventistas do sétimo dia para proclamar a “mensagem do terceiro anjo”. Essa proclamação mundial culmina com o testemunho de um povo cheio do Espírito Santo, que guarda “os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap 14:12).

4. Leia Tiago 1:3; 2:5, 22, 23; 5:15. De que maneira essas passagens mostram a atuação da fé? O que significa viver pela fé? Por que a fé é mais do que apenas aceitar intelectualmente certas verdades?

Alguns podem se surpreender com o fato de que Tiago se refira a crença e dezenove vezes nessa breve carta, mais do que suas referências aobras e justificação combinadas! Na verdade, a importância da fé é enfatizada logo no início do primeiro capítulo em conexão com provações e súplica por sabedoria (v. 3, 6). Isso mostra que Tiago não estava apenas escrevendo a crentes, mas que ele esperava que eles tivessem certa qualidade de fé. Como veremos, o simples ato de crer é de pouco proveito; a verdadeira fé tem certas credenciais reconhecíveis. Ou seja, a verdadeira fé será revelada na vida e no caráter dos cristãos.

Que coisas você faz diariamente que revelam a qualidade e realidade de sua fé? Como você pode mostrar a realidade de sua fé, mesmo nas “pequenas” coisas?

Comentários sobre a Lição

comentários sobre a lição

Tiago, o crente



Ano Bíblico: Zc 1–4

Segunda, 29 de setembro

 

2. Leia 1 Coríntios 15:5-7 e Atos 1:14. O que esses textos nos dizem sobre as mudanças que aconteceram com Tiago?

Jesus apareceu a muitas pessoas após Sua ressurreição, incluindo Pedro e “os Doze” (menos Judas Iscariotes). Depois apareceu a mais de quinhentas pessoas ao mesmo tempo. Tiago, aparentemente, não estava nessa reunião com as mais de quinhentas pessoas. Jesus apareceu a ele em separado, e essa aparição deve ter sido especial, porque foi mencionada especificamente. A Bíblia não diz o que aconteceu nesse encontro. Porém, isso deve ter causado um grande impacto sobre ele, porque Tiago se tornou um fiel seguidor de Jesus e um influente líder da igreja.

3. O que mais sabemos sobre Tiago? At 12:16, 17; 15:13, 14, 19; At 21:17-19; Gl 1:18, 19; 2:9

Tiago se tornou rapidamente líder da igreja em Jerusalém. Após ser resgatado da prisão pelo anjo (em 44 d.C.), Pedro queria que Tiago soubesse o que tinha acontecido com ele (At 12:17). Cinco anos depois, Tiago presidiu o Concílio de Jerusalém e anunciou sua decisão. Paulo o mencionou primeiro, antes de Pedro e João, em sua lista das “colunas” em Jerusalém (Gl 2:9). Vários anos depois desse acontecimento (58 d.C.), quando Paulo levou para os pobres de Jerusalém a coleta de diversas igrejas, os delegados de cada igreja colocaram as ofertas aos pés de Tiago (leia, de Ellen G. White, Sketches From the Life of Paul [Esboços da Vida de Paulo], p. 208, 209).

Tiago parece ter recebido alta consideração durante muitas décadas após a morte dos apóstolos. Na verdade, havia tantas lendas sobre sua piedade que ele é lembrado como “Tiago, o Justo”. Assim, apesar de ter começado com grande dúvida sobre Jesus, Tiago acabou sendo um gigante espiritual na igreja primitiva.

Comentários sobre a Lição

comentários sobre a lição

Tiago, irmão de Jesus



Ano Bíblico: Ageu

Domingo, 28 de setembro

autor dessa carta deve ter sido bem conhecido na igreja porque nela não há informações específicas a respeito de quem ele era, além do que encontramos em Tiago 1:1: “Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que se encontram na Dispersão, saudações.”

Assim, podemos diminuir as opções para sua identidade muito rapidamente. Quatro pessoas no Novo Testamento são chamadas Tiago: dois estão entre os doze discípulos (Mc 3:17, 18); há o pai de Judas (outro dos doze, mas não Judas Iscariotes, Lc 6:16) e um dos irmãos de Jesus (Mc 6:3). Desses quatro, apenas o irmão de Jesus viveu o suficiente e foi destacado o bastante na igreja para ter escrito tal carta. Por isso, acreditamos que foi Tiago, irmão de Jesus, quem escreveu esse livro do Novo Testamento.

Como filho de um carpinteiro (Mt 13:55), Tiago teria tido mais oportunidades educacionais do que teria um camponês comum. Sua carta é um dos melhores exemplos de grego literário do Novo Testamento. Seu rico vocabulário, talento retórico e domínio do Antigo Testamento são superados apenas pelo livro de Hebreus. Porque seu nome aparece primeiramente na lista dos irmãos de Jesus, Tiago era, provavelmente, o filho mais velho. No entanto, o fato de que Jesus confiou o cuidado de Sua mãe a João, o discípulo amado (Jo 19:26, 27), sugere que seus irmãos não eram filhos de Maria, mas filhos de um casamento anterior de José.

1. No contexto do ministério de Jesus, leia este verso: “Quando os parentes de Jesus ouviram isto, saíram para O prender; porque diziam: Está fora de Si” (Mc 3:21; veja também Jo 7:2-5). De acordo com esses textos, como Jesus tinha sido percebido por Sua família? Que lições podemos tirar desses versos se, às vezes, somos mal compreendidos por aqueles a quem amamos?

“O falso conceito da obra do Messias e a falta de fé no divino caráter de Jesus, levaram Seus irmãos a solicitar que Se apresentasse publicamente ao povo na festa dos tabernáculos” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 485, 486).

Comentários sobre a Lição

comentários sobre a lição